Orgasmo – Verdadeiro ou fingido?

Orgasmo fingido

 

I.  Orgasmo verdadeiro ou falso?

Por ser muito grande o número de mulheres que apresenta dificuldade em ter orgasmo, os homens estão sempre a desconfiar da autenticidade do prazer das suas parceiras. Para se livrar da dúvida, alguns tentam especializar-se em misteriosa investigação e até procuram ler no olhar da parceira a certeza de que conseguiram proporcionar-lhe prazer. Há quem acredite que a prova do orgasmo feminino está nos olhos da mulher: “se ela revirá-los, mostrando o branco ou se ficar com olhos de carpa ou de pescada frita”, afirmam eles. Mas conheci um rapaz que garantia não se confundir de jeito nenhum: “nessa hora as mulheres ficam com os lábios muito gelados”. Será?

É claro que ocorrem mudanças corporais durante o orgasmo. Há aumento dos batimentos cardíacos e da pressão arterial, os músculos contraem-se e aparece maior rubor na face, mas tudo isso pode não ser tão perceptível, principalmente se o homem estiver ansioso com o próprio desempenho. Contudo, a grande preocupação dos homens em saber se o prazer da mulher é verdadeiro ou falso leva-nos a outra questão: porque é que tantas mulheres fingem o orgasmo?

II. Por que é que as mulheres fingem?

É muito raro encontrar alguma mulher que nunca tenha fingido um orgasmo. Cerca de 35% delas fingem sistematicamente. As razões são distintas. Há casos em que, temendo ser considerada fria ou decepcionar o parceiro, ela não encontra outra saída.

Durante milénios a mulher aprendeu a ser submissa ao homem e a esforçar-se para corresponder às expectativas dele. A falta de desejo sexual era um aspecto importante da feminilidade e condição para que ela fosse aceite e admirada. Entretanto, após a pílula anticoncepcional, a nossa história começou a mudar e passámos, nas últimas décadas, por uma transformação radical no que diz respeito à sexualidade feminina. Quando o sexo foi dissociado da procriação, pôde ligar-se exclusivamente ao prazer e a mulher, então, reivindicou e ganhou o direito a esse prazer. O seu orgasmo aprimorou-se: do único e simples, num primeiro momento, ela descobriu o múltiplo e, a partir daí, também o Ponto G e a ejaculação feminina.

O homem, por sua vez, confuso com mudanças tão repentinas, encontrou no orgasmo da parceira um alento para o medo que o atormentava: o de não satisfazer a mulher e por isso ser trocado por outro. Situação que, sem dúvida, afectaria a sua certeza de ser macho. Agora, ao contrário de outras épocas, o orgasmo feminino passou a ser importante para o seu equilíbrio emocional. Muitas mulheres percebendo isso, e exactamente da mesma forma que as suas mães e avós fizeram, submetem-se ao homem. Embora se sintam cada vez mais livres no sexo e na vida, elas fingem o orgasmo porque ainda não se desligaram totalmente da ideia de que, para manter um homem ao seu lado, devem agradar-lhe em tudo e nunca o frustrar.

Entretanto, esse não é o único motivo para a mulher fingir o orgasmo. Existem também mulheres que fingem o orgasmo porque não sentem tesão pelo marido e como não conseguem separar-se deles por causa da forte dependência financeira ou emocional, evitam o sexo, alegando as mais variadas razões: dor de cabeça, cansaço, preocupação, sono. Quando sentem que não dá mais para fugir, têm sexo por obrigação, sem vontade nenhuma, e então fingem o orgasmo para que o acto sexual seja o mais curto possível. E ao vê-las gozar, o marido vê-se liberto para procurar logo o seu prazer e acaba, deixando-as em paz.

III. Alguns casos de orgasmo fingido

1. Priscila é uma advogada de 25 anos. Há três meses conheceu o seu namorado, homem bonito e desejado pelas mulheres, que se orgulha de ter conquistado. Apesar de nunca ter tido orgasmo com ele, jamais pensou em fingir, mas sentiu-se pressionada pela ansiedade do parceiro. Cada vez que tinham relações sexuais, ele, aflito, perguntava logo: “Gozou? Gozou?” Com medo de perdê-lo, um dia respondeu: “Gozei”. Pronto, ele ficou satisfeito, mas o orgasmo fingido passou a fazer parte da relação dos dois.

2. Mary tem 24 anos e está casada há dois. Sente-se decepcionada com a vida sexual no casamento, mas não sabe o que fazer. Para o marido, segundo afirma, o sexo é muito rápido; não lhe faz carícias preliminares, sendo que no máximo acaricia o seu clitóris com uma certa força o que, além de não a excitar, causa desconforto e às vezes até dor antes da penetração. Já tentou conversar e pedir-lhe que faça diferente, mas ele zangou-se alegando que é o homem da relação e portanto detesta ser conduzido. No início Mary não fingia ter orgasmo. Isso irritava o marido que, sentindo-se ultrajado na sua virilidade, contava-lhe sobre outras mulheres que teve e que se sentiam plenamente satisfeitas. “Acabei por me convencer de que o problema é meu. Fiquei com medo que ele se desinteressasse de fazer sexo comigo e procurar as antigas namoradas que tinham orgasmos. Comecei a fingir. Ele não percebe e eu já me conformei com isso.”

3. Sara casou-se com Miguel quando os dois tinham 20 anos e eram bastante inexperientes. Estão juntos há sete anos e durante esse tempo ela nunca teve orgasmo com ele. Entretanto, desde as primeiras vezes, fingiu orgasmos múltiplos, levando-o a acreditar tratar-se de uma mulher extremamente ardente, necessitando mais de sexo do que a maioria. A partir daí, não passou um dia em que Miguel não a procurasse sexualmente. Podia estar cansado, engripado ou mesmo com febre, não admitia deixá-la insatisfeita.

Por outro lado, não tendo desejo algum pelo marido, Sara com frequência fingia estar a dormir ou com uma forte dor de cabeça. Mas não adiantava recusar, Miguel insistia em cumprir o seu papel. Não tendo mais como reverter esse quadro que já se tornara crónico, – a não ser que contasse toda a verdade – Sara passou a fingir cada vez mais rápido. “São sete anos de uma farsa tragicómica. Já fiz até as contas. Devo ter fingido aproximadamente 2.600 orgasmos. A coisa está num nível que, para acabar logo, mal ele encosta o pénis na minha vagina, começo a gozar. Mas agora não dá mais. Vou ter que fazer alguma coisa. Há três semanas relacionei-me com outro homem pela primeira vez desde que casei. Você acredita que no primeiro encontro gozei de verdade, e muito?”

IV. Algumas pessoas dizem por que razão a mulher finge

Elisa Lucinda – poeta e actriz
Acho que não é para enganar o homem que elas fingem o orgasmo, mas para acabar logo com aquele negócio que não está bom.

Márcia Peltier – jornalista e apresentadora de TV
Muitas mulheres têm medo de mostrar que aquela relação não está a satisfazer, e assim perder o parceiro. Elas acham que ele não vai entender e acabam por fingir o orgasmo para satisfazer o homem, e frustrando-se. Isso só piora a relação, a mulher deveria dizer como é melhor para ela. Mas é muito delicado, porque há homens que não aceitam que a mulher lhes diga isso. É complicado falar de sexo com o parceiro que não te está a satisfazer.

Léo Jaime – cantor e compositor
A mulher pode fingir o gozo por curtição, mas em geral isso acontece com quem transa com quem não quer, do jeito que não quer e na hora em que não quer. Se você não consultar os sentimentos, não saberá das sensações. Como dizia Nelson Rodrigues: “É preciso alma até para se chupar um chicabon”.

Bianca Ramoneda – escritora e actriz
Muitas mulheres não têm orgasmo porque a mulher sempre ouviu um ‘não’ para o sexo. Mas não é só uma decisão interna da mulher. Deve ter muito homem que não sabe fazer a sua parte.

Paulo Müller – cirurgião plástico
A mulher finge porque é fácil e para agradar o homem. Elas querem dizer para o homem que o desempenho dele foi óptimo.

Lucélia Santos – actriz
Muitas mulheres fingem orgasmo para não magoar o parceiro ou até mesmo para se preservarem de ter que enfrentar esta situação, que é delicada.

Cláudia Alencar – actriz
A mulher finge para agradar, para manter o parceiro. Mas acho que elas mantêm o parceiro se disserem que não gozaram. Quando a mulher é sincera e verdadeira, o homem adora. Os dois juntos vão tentar que ela tenha orgasmo, seja clitoriano ou no ponto G.

Tônia Carrero – actriz
A mulher finge para satisfazer a vaidade masculina…Normal, né?

2 comentários

  1. A verdade e que o homem não e bobo, e a mulher que prefere agir assim …vai acabar perdendo seu parceiro para aquilo que ela chama de comcorrencia.

  2. Bom eu acho que as mulheres fingem para manter a relaçao com o parceiro, mais nao percebe que com isso ela mesmo esta se afastando, em uma relaçao o prazer deve ser de ambos e se isso nao acontece a conversa deve ser o primeiro passo a ser tomado. Nada melhor do que uma conversa com a sua parceira pra saber o que fazer e como fazer para atingir o tal PONTO G……….
    Caso isso nao ocorra procurar um medico é uma boa saída para solucianar o problema do casal.
    Bom acho que é isso o prazer tem q ser dos dois pq se nao ! como vai ser como diz aquele ditado: Cavalo ou egua presa ainda anda no pasto e a grma do vizinho é sempre mais bonita!!


Comments RSS TrackBack Identifier URI

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s